Fruto do Espírito – Gálatas 5.22,23

FRUTO DO ESPÍRITO

 Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade,
mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei.
Gálatas 5:22-23

Quando pensamos no texto de Gálatas 5, ou até mesmo nas bem-aventuranças do Sermão do Monte, costumamos pensar que cada uma destas características é independente e conquistada de forma parcial. Porém isto não é verdade.

Tanto as bem-aventuranças quanto o Fruto do Espírito são uma coisa só. É impossível ser humilde de espírito sem ser manso. Ou é impossível não chorar por causa de nossos pecados e os pecados da humanidade sendo pobre de espírito ou tendo fome e sede de justiça.

Com relação a este texto de Gálatas 5, percebemos que estas são as características daqueles que são discípulos de Jesus, que passaram a ter o Espírito Santo habitando neles, contra essas coisas não há lei.

E todas essas características são apresentadas como O fruto do Espírito e não como OS frutos. Por quê?

Uma primeira explicação é que o fruto é da mesma árvore, que é o Espírito Santo. Desta árvore só podemos colher um fruto. Este fruto possui diversas características.

No nosso caso, podemos perceber que as características do Fruto do Espírito começam a se desenvolver em nós de maneira que TODAS elas passarão a crescer dentro de nós, se a cultivarmos.

O cultivo desse fruto não é algo natural, ou seja, não pode ser desenvolvido por desejos humanos. No caso, não podemos interpretar de forma natural e cotidiana cada uma destas características. São elas:

1) AMOR: muito se fala sobre amor hoje em dia. Porém o amor que é fruto do Espírito, é algo que não podemos ter naturalmente. É um amor que é doador, que não tem interesses de troca. Jesus disse: amai os vossos inimigos. Porque se vocês amam aqueles que vos amam, qual a diferença de vocês para os outros?

O amor que Deus nos dá, é o amor Ágape, que é perfeito. O amor de Cristo, quando deu sua vida na cruz por nossos pecados é o amor que é verdadeiro e ninguém pode cultivá-lo se não for pelo Espírito de Deus.

Este amor que tinham os mártires que estavam dispostos a morrer para anunciar o evangelho àqueles que não conheciam a Cristo.

2) ALEGRIA: todo mundo quer ser feliz, mas quem de fato é? A alegria descrita aqui independe de circunstâncias. Muitos dizem ser alegres quando na verdade apenas estão alegres em alguns momentos. A alegria que o Espírito Santo nos dá é algo que ultrapassa nosso entendimento. É alegria fruto de uma esperança eterna e não em uma situação passageira.

Horatio Spafford foi o autor do hino: Sou feliz. Ele fez essa música após perder as 4 filhas em um naufrágio de um navio que estava a caminho da Europa. Horatio após perder um filho, e muitos dos seus bens em um incêndio em Chicago, estava para ir para Europa com sua família, porém houve um imprevisto e ele teve que ficar mais uns dias. Quando chegou a notícia que o navio com suas filhas havia naufragado e elas haviam morrido.

Segue a letra da música que ele escreveu após esse incidente:

“Se paz a mais doce me deres gozar, se dor a mais forte sofrer,
Ó seja o que for, tu me fazes saber que Feliz com Jesus sempre sou…”

3) PAZ: Essa paz está totalmente ligada ao AMOR e a ALEGRIA, pois é impossível não ter paz quando se ama e se está alegre. Porém não é a paz como é pregada em todo o mundo. Uma paz em alguns momentos, ou apenas quando não se está em guerra, ou protegido em seu condomínio fechado. Não é apenas uma paz verde (greenpeace) e nem uma paz que levanta apenas uma bandeira.

Essa paz provém da esperança de que independente das circunstâncias, um dia reinaremos com Cristo.

4) PACIÊNCIA: É impossível amar as pessoas se não formos pacientes. Normalmente vemos quem somos quando estamos no trânsito. Muitos não querem dar passagem para ninguém e quando vêem alguém precisando entrar muitos ao invés de ceder, aceleram ainda mais.

Ser paciente neste sentido, não é apenas assumir uma postura de alguém que está apenas “zen” o tempo todo, mas alguém que por se importar com as pessoas ao seu redor, está disposto a reduzir seus passos, para caminhar com aqueles que estão impossibilitados. Aquele que está disposto a voltar para carregar aqueles que ficaram para trás.

Quando alguém está se afogando, a pessoa entra em um estado de desespero. É necessário paciência para o salva-vidas para conseguir salvar a pessoa em perigo. Neste caso, o salva-vidas não deve se irritar se a pessoa tentar afundá-lo, pois está no desespero. No caso, o salva-vidas deve esperar o momento oportuno para salvar a pessoa.

Existem pessoas se afogando em seus problemas em todo o tempo. E se não tivermos paciência, de maneira nenhuma conseguiremos salvá-las.

5) AMABILIDADE: Essa palavra que também é traduzida como Longanimidade, vêm da palavra grega makrothumia que também pode significar lentidão em punir pecados, tolerância, constância. Muitos estão prontos para pegar pedras e atirar nas pessoas nos primeiros erros que cometerem. Porém, como fruto do Espírito temos a amabilidade, ou longanimidade. De maneira nenhuma podemos amar as pessoas e não ser longânimos. Devemos sempre estar dispostos a perdoar e caminhar com elas. Daí vemos que também precisamos da paciência e tolerância.

Será que você tem sido longânimo ou tem procurado ser juiz? Muitos apelam para a justiça de Deus para dizerem que as pessoas não tem jeito. Porém esse papel é de Deus. O nosso é de amar nossos inimigos e estarmos dispostos a serví-los e pregar para eles.

6) BONDADE: Também pode ser Benignidade, que vêm da palavra grega chrestotes, que pode significar bondade moral, integridade. É impossível ser longânimo, paciente, amoroso, transmissor de alegria e paz, sem ser íntegro, bondoso.

Esta característica é extremamente importante, dado que o que fazemos fala muito mais do que o que falamos. Se não formos bondosos em nossos atos, de maneira nenhuma poderemos ter qualquer das características anteriores. Deus não tem parte com o mau e nem com a injustiça. Por isto, o Espírito gerará bondade em nosso coração, que se tornará íntegro diante de Deus, à medida que iniciarmos nossa jornada ao lado de Jesus.

7) FIDELIDADE: É a convicção da verdade do que cremos. Fé. Total confiança de que Deus está no controle de todas as coisas e seremos fiéis a Ele pois cremos que Ele sabe o que é o melhor e não nós. Sem fé é impossível agradar a Deus. E Fé é gerada no nosso coração pelo Espírito. Ninguém pode adquirir fé por si mesmo.

Quando caminhamos por fé, vemos o invisível. Não julgamos as pessoas segundo o curso deste mundo, porém passamos a olhar com os olhos de Deus. Passamos a sentir o zelo de Deus. Passamos a amar com o amor de Deus.

8) MANSIDÃO: Quando dependo de Deus, confio nEle, vivo por fé, sou tomado pela paz e alegria do Espírito, quando meu coração é paciente e disposto a perdoar e caminhar com os mais fracos, isso significa que me tornei uma pessoa mansa. Quem possui esta característica é alguém que não julga ter direito algum, porém entregou todos os seus direitos para Deus.

Um animal manso, é um animal domesticado, dominado pelo seu dono. A pessoa que possui mansidão, é aquela que é dominada por Deus. Deus é que possui o controle de sua vida.

9) DOMÍNIO PRÓPRIO: Esta palavra vêm da palavra grega egkrateia, que significa auto-controle, virtude de alguém que domina seus desejos e paixões.

Muitas pessoas se dizem cristãs porém não possuem auto-controle. Na primeira dificuldade logo mostram quem são. Quando são contrariados logo começam a reclamar e querem se defender. Outros se dizem cristãos, porém nunca conseguem vencer o pecado. Se entregam nas primeiras dificuldades.

O cristão é dominado por Deus, tem a paz e alegria do Espírito, e ganha o controle de sua vida. Aqueles que vivem no pecado, não possuem o Espírito Santo e são ESCRAVOS do pecado. O cristão não. Ele tem o domínio próprio, o auto-controle de dominar seus desejos e paixões e submetê-los à vontade de Deus e não aos seus desejos carnais.

Muitos se dizem cristãos porém não cultivam o FRUTO DO ESPÍRITO. Dão espaço para sua boca amaldiçoar, logo criticam aqueles que erram, são tomados apenas pela Ira, Raiva, e não pela alegria do Espírito. Não tem auto-controle para rejeitar o pecado e tampouco possuem paz.

Muitos estão mais preocupados com o exterior do que com o interior. Se dizem cristãos, citam versículos, vão na igreja todos os dias porém não se parecem em nada com Jesus. Gostam de julgar as pessoas, condenar e falar mal e não amam aqueles que os cercam. O cristianismo não é pela roupa, costumes ou o que se vê exteriormente, mas do coração, em ser cada vez mais parecido com Jesus.

De fato, quem vive desta maneira, precisa se render aos pés de Jesus para que sua vida seja transformada, e seu caráter moldado pelo Espírito para que fique mais parecido com Jesus.

Não é uma oração que salva, e nem o fato de estar em uma igreja te faz um cristão, assim como estar em uma garagem não te faz ser um carro. É necessário nascer de novo. É necessário ouvir o chamado do Mestre e responder afirmativamente TODOS OS DIAS.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: