Mateus 5.3 – Bem-aventurados os humildes de espírito

Bem-aventurados os pobres de espírito porque deles é o reino dos céus. Mateus 5.3

O texto começa com a palavra grega no plural Makarioi que quer dizer Bem-aventurados, felizes ou afortunados. Existem duas palavras usadas para pobreza nas escrituras. Uma delas é histeresis que significa uma pobreza em termos de faltar coisas, ter necessidade de algo, ser destituído de riquezas. Porém existe uma palavra mais forte para pobreza que é ptochéia que é uma pobreza extrema, um estado de mendicância. E Mateus utiliza esta palavra para descrever quem será o herdeiro do reino dos céus. Uma possível tradução seria: “Afortunados aqueles que reconhecem que são pobres como um mendigo de espírito porque deles é o reino dos céus.”

Em nossa sociedade as pessoas são conhecidas pelo que elas são, pelo que elas tem e pelo que podem fazer. Quando nos referimos a alguém como pobre de espírito, com certeza não estamos dizendo algo de bom sobre esta pessoa, mas como alguém que não tem caráter, que não tem nada que nos chame atenção. Queremos todos ser ricos de espírito ou elevados espiritualmente ou pessoas iluminadas. Para isso buscamos ser bons, fazer o bem, ajudar os outros, fazer algum trabalho voluntário, fazer doações, etc.

Queremos ser admirados pelos outros. E digo que esta característica que Jesus diz sobre humildade de espírito se compara a ser como um mendigo. Primeiramente digo que ninguém é humilde de espírito. Isto nada tem a ver com ser pobre materialmente ou não. Mas sobre a visão que temos de nós mesmos.

Normalmente superestimamos quem somos. Para os outros somos rígidos mas conosco sempre somos mais tolerantes. Tanto não somos humildes, que é só alguém nos colocar abaixo de quem somos que aí reclamamos nosso direito.

É só alguém falar para nós que não somos ninguém que vamos fazer de tudo para mostrar quem somos. Quem nunca ouviu aquela pergunta: “Quem é você para fazer isto ou aquilo?”. Outra coisa é a competição que existe no que diz respeito a ter. Sempre querendo mostrar que temos mais do que os outros buscando ostentar isto cada vez mais. E também no que diz respeito a poder. Quando nos deparamos com uma situação em que estamos impotentes ficamos arrasados.

Jesus diz que Afortunados, Ricos, Felizes são os pobres, mendigos, humildes de espírito.

O que será que Ele queria dizer com isto? Um mendigo é alguém que é dependente. Necessita da ajuda dos outros para sobreviver. Ele não é ninguém perante a sociedade, não pode oferecer nada. Na verdade as pessoas quando passam perto dele viram a cara, pois é ruim apenas saber que ele está ali, não é bom de ver. O mendigo não tem nada, no máximo suas roupas do corpo e algum trapo para se cobrir. Não possui nada de valor consigo. E não pode nada. Ele não tem poder algum. Muitas vezes nem sobre si mesmo sendo entregue a vícios para tentar suportar a realidade de que não é ninguém, não pode nada e não tem nada.

Assim seria o humilde de espírito que Jesus diz. O humilde de espírito é aquele que reconhece que NADA TEM, NADA PODE E NADA É. Ao se deparar com o Senhor, tem consciência do seu estado espiritual.

Contudo as pessoas tem necessidade de fazer algo de bom para tentar justificar quem são. Tentam de todas as formas estar no controle da situação e conquistar sua salvação ou apenas para terem um sentimento de altruísmo. Tudo isto tentando ser pessoas elevadas espiritualmente ou visando estar de bem consigo mesmas. Mas Jesus vem quebrando tudo isto dizendo que precisamos reconhecer que não podemos nada.

Diante disso, lembro-me das pessoas que tiveram algum encontro com Deus na bíblia. Por exemplo Moisés. Moisés foi criado como filho da filha de Faraó na época que o Egito era a maior potencia mundial. Era bem culto e sabia lutar também. Sendo hebreu, aos 40 anos com todo seu vigor tentou libertar seu povo da escravidão do Egito. Não funcionou. E ficou por 40 anos no deserto aprendendo a ser humilde de espírito para então tratar com Deus face a face. Quando Deus o chamou para libertar o povo, Moisés diz que não pode, não é ninguém, para que Deus enviasse outro. Neste contato com Deus, Moisés reconhece quem é. Ali então estava adquirindo o caráter que Deus deseja para nós.

Daniel quando encontrou com Deus caiu no chão sem força alguma. Paulo se dizia o maior de todos os pecadores. Gideão disse que não podia, que era o menor de todos. João caiu no chão como morto. Nos 5 primeiros capítulos do livro de Isaías, vemos o profeta dizendo ai dos idólatras, beberrões, etc. Quando ele vê o Senhor no alto e sublime trono ele clama: Ai de mim! E muitos ainda insistem em dizer que estão na sala do trono, ou que viram o Senhor e continuam de pé, se vangloriando de quem são. Acredito que não.

Quando nos aproximamos do Senhor reconhecemos que não podemos fazer nada por nós mesmos. Que realmente diante de Deus não somos nada e nada temos. A partir daí Deus começa a trabalhar em nós. E a consequência disto? Somos afortunados, bem-aventurados porque herdaremos o Reino dos céus.

Só Deus pode mudar nosso modo de viver. O primeiro passo é reconhecer quem somos.

O exemplo para nós de humildade é o próprio Cristo. Você aceitaria ser colocado abaixo do que você realmente é? Se você tivesse todo o poder do universo, fosse a pessoa mais poderosa do mundo, aceitaria dizerem que você tem demônio? Ou seria um simples carpinteiro de Nazaré?

Ficaria mudo enquanto alguns líderes discutissem sobre seu destino pensando eles terem poder sobre você? Não defenderia sua integridade quando ela fosse colocada em jogo e você nada fez de errado? Quando batessem no seu rosto dizendo profetiza quem te bateu, você ficaria quieto?

Somente podemos crescer espiritualmente quando formos humildes de espírito. E isso vem apenas diante de um relacionamento com Ele, quanto mais próximos dele mais veremos isto. Contudo pode ser que queiramos nos afastar, pois não queremos nos deparar com tal realidade dura, e continuar floreando fingindo para nós mesmos que tudo está bem quando não está. Mas quando nos deparamos com situações em que o chão abre debaixo de nós, quando percebemos que não temos o controle e que não há pra quem correr, aí perdemos a esperança. Entretanto, Jesus diz que aquele que reconhece que não tem, mas entrega a si mesmo para o DONO DO UNIVERSO, este é afortunado. Aquele que sabe que não é, mas vive para o GRANDE EU SOU, este herdará o reino dos céus. Aquele que reconhece que nada pode fazer, mas confia naquele que TEM TODO PODER, este terá sua vida transformada, terá a paz que o mundo não pode dar, será feliz, bem-aventurado, afortunado sendo humilde de espírito porque herdará o reino dos céus.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: