Salmo 130: A graça em meio à escuridão

TEMA: A graça em meio à escuridão (Clamando das profundezas)
Salmos 130:1-8
Introdução:
Lembro-me de quando estava na praia quando pequeno, tinha uns 7 anos. Minha mãe saiu para passear e meu pai ficou cuidando de mim. Resolvi me aventurar e me perdi. Quando me perdi, aquilo nunca tinha acontecido e havia uma multidão de pessoas. Então procurei por um adulto e disse: estou perdido. Não sei onde meus pais estão. Eu sabia que eles me encontrariam afinal dariam falta de mim então fiquei esperando ao lado do adulto tranquilamente. Pouco tempo depois lá estava meu pai e eu estava seguro novamente. Mesmo eu desobedecendo, ele me abraçou e ficou muito feliz em me ter de volta em seus braços.
Contexto:
Cântico de Romagem. Cântico dos degraus. Salmos de subida. Cânticos de peregrinação.
Do Salmo 120 ao Salmo 134.
Esse título se deve ao fato de que esses salmos eram cantados pelos peregrinos que “subiam” a Jerusalém, especialmente nas três grandes festas ( Êx 23.14-17 ), deve- se ter em mente que Jerusalém está situada a mais de 750 mts acima do nível do mar.
A jornada envolvia a família toda, era feita a pé. Dormia-se no relento. Correndo riscos de assaltos e outros perigos nas escuridões da noite. As jornadas eram feitas em meio a ameaças e sob o sol escaldante. No Salmo 121 o salmista deposita sua confiança no Senhor como o guarda de Israel. No salmo 122 festeja-se a ida a Jerusalém (Alegrei-me quando me disseram: Vamos à casa do Senhor).
Quando estavam às portas do Templo, a busca do povo de Deus era por perdão. Nesse salmo podemos ver a busca por perdão, confiança em Deus, e a esperança messiânica.
Quando estamos perdidos ou mesmo no fundo do poço devemos nos voltar para o nosso Senhor.
1) Deus está disponível  (Clamor)
Das profundezas clamo a ti, Senhor;
Ouve, Senhor, a minha voz! Estejam atentos (jussivo – desejo) os teus ouvidos às minhas súplicas!
As misérias para as quais não temos esperança de que acabarão trazem desespero, profunda angústia, tristeza.
Muitas vezes diante das calamidades, nos sentimos como alguém nas profundezas. No fundo do abismo. No fundo do poço.
A condição de lançado às profundezas tinha obstruído sua relação pactual. A tremenda distância entre as moradas do Altíssimo e as profundezas do salmista tinha causado enorme angústia ao salmista, a terrível sensação de não estar sendo ouvido.
Às vezes nos sentimos no fundo do poço.
Deus ouve a oração do aflito. Na aflição, na angústia e na dor, o salmista tem certeza da presença de Deus. Deus está presente ainda que esteja tudo escuro. Deus é soberano ainda que pareça que não.
Não é que a graça impede o sofrimento e angústia. Ela transforma nossas preocupações em esperança. A graça nos sustenta e nos mantém de pé mesmo quando as circunstâncias estão contra nós. A graça nos leva a buscar a luz de Deus, mesmo na escuridão.
2) Deus é misericordioso (está disponível para perdoar)
Confissão
Se tu, Soberano Senhor, registrasses os pecados, quem escaparia? (permanecerá de pé?)
Mas contigo está o perdão para que sejas temido.
As profundezas onde o salmista se encontra não são por causa de problemas emocionais, doença ou perseguição mas por causa do seu pecado. Mais do que qualquer outra coisa, a noção da santidade de Deus nos leva a busca-lo para nos perdoar.
Porque o salmista conhece o caráter de Deus, ele sabe que Deus tem tanto o poder de perdoar, como Deus tem prazer em perdoar.
O caráter santo de Deus, o caráter bondoso de Deus leva seus filhos a teme-lo. Não apenas por causa da sua justiça e santidade, mas por sua bondade. Saber que Deus é bom e nós somos maus nos leva a ter reverência diante dele. Há gratidão, admiração, amor, reverência no coração do pecador arrependido.
Deus não deve ser buscado por medo do juízo ou do inferno. Mas porque ele é admirável.
Quando meu pai me encontrou ele não olhou para minha desobediência. Ele queria minha presença novamente. Deus não olha nossos erros e pecados. Ele quer você. Se Deus olhasse para nossos pecados não iria, Não é que a graça impeça o que não for bem-aventurança, Nem que afaste toda a angústia, mas é isto: A graça regula as nossas preocupações e dores, E então, na escuridão, está lá para nos sustentar.
O grande problema é achar que ele não olha porque ele ignora. Deus conhece seus pecados. Cada um deles.
Uma grande heresia: posso pecar porque Deus perdoa. Justamente porque eu amo a Deus eu não vou pecar. Se eu pecar ele me perdoa. Porque eu amo a Marina eu não vou pecar contra ela. Se eu pecar, ela me amando, me perdoará. Um filho para com um pai, um pai para com um filho.
Se eu peco deliberadamente, é porque estou na prática do pecado e a Bíblia diz que quem faz isso é filho do diabo.
3) Esperança nas promessas de Deus
Esperança
Espero (aguardo com força – piel – esperar ansiosamente) no Senhor com todo o meu ser, e na sua palavra ponho a minha esperança.
Espero pelo Senhor mais do que as sentinelas pela manhã () ; sim, mais do que as sentinelas esperam pela manhã!
130.5, 6 — Aguardo […] espero. Nestes dois versículos, o poeta repete cinco vezes que sua esperança está no Senhor. Trata-se de uma expectativa confiante no Deus que sempre cumpre as Suas promessas.
O salmista espera confiante e ansiosamente pelo Senhor. Ele teme a Deus, e põe sua esperança nas promessas do Senhor. Deus prometeu que haveria de salvar, e ele aguarda pela salvação do Senhor.
Como os guardas anseiam pela manhã nos mostra uma esperança que não falhará. Pode ser que a noite pareça infinda, mas a manhã é certa, seu tempo é determinado. Em Israel, haviam guardas que vigiavam nos muros. Se um sentinela dormisse o povo estaria perdido (Salmo 121 – o guarda de Israel não dormita). Era muito possível que um guarda dormisse. Vencido pelo sono. Já dormiu no volante? Já quis muito chegar em casa?
O anseio do salmista é maior do que qualquer coisa nesse mundo.
Não podemos ficar sem ele (minha alma anseia por Deus)
O coração humano tem um vazio do tamanho de Deus. Não podemos ser satisfeitos em nada a não ser o Senhor.
Quando descobrimos isso, deixamos de buscar aquilo que não traz saciedade.
4) Confiança na salvação do Senhor
Confiança
Ponha (piel imperativo) a sua esperança no Senhor, ó Israel, pois no Senhor há misericórdia (hesed) e copiosa redenção (rabah peduth – um grande resgate – salvação grandiosa). Misericórdia – redenção grandiosa
Ele próprio redimirá Israel de todas as suas culpas.
130.7, 8 — O salmo passa da experiência individual para a comunitária. Ele estava desesperado, angustiado, mas ao olhar para o Deus Todo-Poderoso, tira seus olhos da escuridão e o coloca sobre a luz de Deus. Sua esperança é renovada de tal maneira, que convoca o povo a colocar sua esperança no Senhor também.
O salmista depois de se ver livre da culpa do seu pecado, ele se dirige ao povo de Deus.
Ele experimenta da graça e convoca outros a viverem na graça.
Copiosa redenção: reluz brilhantemente contra a escuridão do começo do salmo.
Ele é o redentor de Israel – Ele redime Israel de TODAS as suas iniquidades.
Jesus pagou um alto preço revelando a misericórdia e bondade do Senhor. Ele nos resgatou da morte. A morte tinha o poder sobre nós. Ele nos tira da morte e se coloca em suas garras em nosso lugar, mas ele venceu não permanecendo lá.
Ele não vê escuridão, mas a luz. E agora quer levar essa luz a outros. 
CONCLUSÃO
Jesus Cristo
Das profundezas – Cristo foi às profundezas para nos tirar de lá, e tomou o nosso lugar.
Ele não leva em conta – porque ele levou sobre si as nossas iniquidades
Ele perdoa – o castigo estava sobre ele
Aguardo no Senhor – Ele veio
Ele redimirá – Ele redimiu
Ele voltará .

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: