Filipenses 4.4-9: Como viver os dias maus

Filipenses 4.4-9: Como viver os dias maus

Introdução

Vivemos dias maus. Dias em que a igreja é caluniada, perseguida, onde irmãos são atacados. É possível que até mesmo entre nós haja divergências, e muitas vezes, entre os próprios irmãos podem haver situações que nos machucam e afligem nossa alma. Como igreja, como devemos agir frente a um mundo mau? Como cristãos como devemos agir quando somos afligidos?

Contexto:

Paulo fala exatamente sobre isso neste texto. Ele estava preso por causa do evangelho. Foi caluniado pelos seus próprios irmãos (filhos de Abraão), os judeus. E agora se dirige a uma igreja que também estava sofrendo. Era perseguida e estava sofrendo.

Tema: Como viver os dias maus

DE FORMA RADICAL

 

1) Alegrando no SENHOR – SEMPRE (como se portar em relação a si mesmo)

Imperativo. Ordem do Apóstolo Paulo. A Bíblia é a Palavra de Deus. Toda ela. Quando há uma ordem, não deve ser discutida, mas obedecida. Mas como se alegrar frente as intempéries da vida? Como Alegrar-se SEMPRE.

Motivo da alegria: No Senhor. (Denota lugar, direção). A direção da nossa alegria.

Afetos espirituais de Edwards. Não dependem de circunstâncias.

O motivo de nossa alegria reside na nossa redenção e consequente união com Cristo.

Somos bem-aventurados (felizes). Nossa alegria reside no fato que Deus é soberano.

Paulo os convoca a pensar naquilo que traz esperança e não naquilo que os levaria a pecar.

Ele repete. Ênfase.

 

2) Tendo Moderação – DIANTE DE TODOS OS HOMENS (como se portar diante dos homens)

A palavra moderação (epieikés) significa uma disposição amável e honesta para com as outras pessoas, a despeito de suas faltas.

O pano de fundo é que a congregação enfrentava oposição, ameaçada em um mundo hostil. Mas ele poderão vencer a batalha.

A igreja deveria chamar a atenção por causa da sua moderação (indulgência). Assim teria um influência arrebatadora sobre todos os homens, seus vizinhos. E mesmo seus perseguidores.

A palavra é sinônima de longanimidade ou paciência. É ter um espírito pronto para abrir mão da retaliação, quando crentes são ameaçados, ou provocados, por causa de sua fé. Entre sofrer a injustiça ou cometer a injustiça, o cristão deve preferir sofrer a injustiça. Bem-aventurados os mansos. Bem-aventurados os perseguidos.

Perto está o Senhor. Essa moderação está diretamente ligada ao fato de que Cristo está voltando, e de que ele está perto de nós (Mt 28.20) nos fortalecendo. Em tudo ele suportou e venceu, temos bom ânimo porque ele venceu o mundo.

Além disso, as injustiças que sofremos aqui logo acabarão. Ele está voltando!!!!

 

3) Sem ansiedade – NENHUMA (como se portar diante de Deus)

O contexto é das ameaças ao redor. Mas porque o Senhor está perto, eu não preciso ficar ansioso. A falta de percepção da proximidade do Senhor nos leva à ansiedade.

Ansiosos é o termo que indica a falta de confiança na proteção e cuidado de Deus. Essa admoestação de Paulo aos filipenses aponta para Mateus 6.25-34.

Como vencer a ansiedade?

  • Petições (aitémata) – pedidos específicos por outros.
  • Orações (proseuchê) – oração em geral. Relacionamento com Deus.
  • Súplicas (deései) – enfatiza o sentido da necessidade, pedido específico.
  • Ações de Graças (eucharistías) – 1 Ts 5.18: em tudo dai graças. Gratidão. Ilustração: Ver pelo lado certo. Música Tapeceiro de Stênio Marcius.

A oração deve ser a base para a reflexão (vs. 8) e ação (vs. 9).

 

4) Com paz QUE EXCEDE TODO ENTENDIMENTO (resultado)

Como consequência do relacionamento com Deus, e da sua proximidade conosco, a paz do Senhor guardará nossas mentes e corações em Cristo.

Onde estaremos guardados? Em Cristo.

Guardar (phrourései) significa montar guarda. Deus está pensando na segurançaa da igreja e dos seus membros em um ambiente hostil.

Eirene – Shalom. Paz. Paz com Deus. Paz com o próximo. Estado de bem-aventurança. Seremos bem-aventurados. Teremos o Senhor conosco.

Excede todo entendimento: não depende da racionalidade humana. Não depende de circunstâncias. Quando tudo diz não, nós sabemos que Deus está conosco. Quando o mundo cai ao nosso redor, nós temos os braços de nosso Pai nos segurando.

Em Cristo: ele é a esfera na qual estamos guardados. Vivemos na presente era, mas já desfrutamos da era vindoura. Já experimentamos o céu na terra por meio da nossa união com Cristo. Estamos em Cristo, portanto nenhuma condenação há para nós. Descansamos no fato de que todas as coisas cooperam para o nosso bem, porque estamos nele. O Criador e sustentador de todas as coisas.

Ilustração: Horatio Spafford. Estêvão. Paulo. Daniel na cova dos leões.

 

5) Pensando nas coisas do alto – TUDO QUE É … (mente voltada para Deus)

Finalmente (diante de tudo isso), devemos pensar e agir.

No que pensar?

Paulo já havia dito que devemos ter o mesmo pensamento de Cristo e ter uma mesma mente uns com os outros. Como?

Ocupar o pensamento significa se deter, refletir, meditar, dedicar a vida a pensar nisso.

A Ortodoxia e a Ortopraxia andam juntas. O pensamento correto e a prática correta. Um não existe sem o outro.

Tudo que é verdadeiro: somente a verdade deve ocupar o nosso pensamento. Jamais a mentira. Para isso precisamos ponderar, refletir, conhecer os fatos antes de emitir opinião, julgamento. Devemos agir com moderação e prudência, buscando a verdade e somente a verdade. E deixando a mentira, e não permitindo que seja propagada.

Tudo que é respeitável (semna): aquilo que é moralmente bom. Digno, elevado. Não devemos pensar em nada que seja imoral e indigno.

Tudo que é justo (dikaia): aquilo que observa as leis divinas. Segue a lei de Deus então pensamos. Colocamos a nossa mente disposta a isso.

Tudo que é puro (hagnós): aquilo que é limpo, livre de pecado e faltas, que é puro de sensualidades ou mesmo de maquinações para o mal.

Tudo que é amável (prosphilê): em direção ao amor fraternal.

Tudo que é de boa fama (euphema): palavras boas, que traz palavras que geram esperança, que fala auspiciosamente.

Se alguma virtude há e se algum louvor existe: nossa mente deve ser um lugar de bons frutos sendo cultivamos. A boca fala do que está cheio o coração. O que ocupa a minha mente é o que ocupará minha boca, minha agenda e minha vida.

 

6) Praticando a palavra – EM TODO TEMPO (ações voltadas para Deus)

Como viver os dias maus?

Aplicando a Palavra em nossa vida. O pensamento não é meramente abstrato, ou de pura reflexão, mas deve levar a uma vida santa. Ouçam, Meditem até que entendam e então ajam.

O que aprendestes, recebestes e ouvistes: a correta doutrina. O que recebestes é a doutrina que veio dos apóstolos. É a correta doutrina. A sã doutrina. A doutrina que Paulo ensinou àquela igreja. A Palavra inspirada de Deus.

Praticai (prassete): Imperativo. Ordem. Exercitar. Colocar em prática. Executar. Planejamos e então agimos.

A ação do crente é baseada em planejamento, em reflexão, e na palavra. O crente não age por impulso, por emoções ou baseado em circunstâncias, mas baseado na PALAVRA.

 

CONCLUSÃO

Sejamos criteriosos, moderados, não ansiosos, antes, tendo paz com Deus e com o próximo, meditando em tudo que é bom, e com isso agindo com justiça, bondade, amor e misericórdia.

O Deus da paz estará convosco. A base de tudo isso é a presença consoladora de Deus. Ele é quem nos capacita, nos habilita, nos sustenta e nos protege. Por causa dele podemos aprender, pensar, meditar e praticas. E fazemos isso porque Ele enviou seu filho para morrer por nós, para glorifica-lo e aguardando com expectativa a vinda do Nosso Redentor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: