Mateus 6.13: Não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do Mal

Mateus 6.13: E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal

Os três primeiros pedidos na oração do Pai-Nosso expressam a nossa preocupação com a glória de Deus em relação ao seu nome, ao seu governo e à sua vontade.

As três últimas petições estão relacionadas conosco, mas que também levam à santidade do nome de Deus, implementam seu reino e cumprem sua vontade.

Pedimos por pão (necessidade física), dependendo de Deus como nosso pai.

Pedimos por perdão (necessidade espiritual) dependendo de Deus como nosso salvador.

E então pedimos por proteção, dependendo de Deus como nosso protetor (paternidade) e libertador (salvador).

 

1) Não nos deixes cair em tentação

Cair em tentação: subjuntivo (possibilidade).

Somos tentáveis. Podemos cair em tentação.

Palavra tentação (peirasmón) – prova, teste, sedução ao pecado, originada pelos desejos ou circunstâncias externas.

Somos tentáveis porque somos frágeis: fisicamente (enfermidade, fome, dor, morte);

Tentação no deserto de Jesus Cristo.

Jesus foi levado ao deserto pelo Espírito para ser tentado. Passam-se quarenta dias. E Jesus é tentado no corpo, onde ele estava mais vulnerável naquele momento.

Transforma pedra em pão. Se és… prova sua divindade.

A tentação passa pelo desejo dos olhos, desejo da carne e soberba da vida.

 

Tentação do Éden: olhos (desejável aos olhos), carne (desejável para comida), soberba (desejável para obter conhecimento).

Tentação no Deserto: carne (pães em pedras), olhos (mostrou-lhe todos os reinos do mundo e a glória deles, tudo te darei se prostrado me adorares), soberba da vida (se és filho de Deus prova e se lança daqui abaixo e os anjos te segurarão).

 

Livra-nos da tentação da:

1) Carne: sensualidade

2) Olhos: Ganância

3) Soberba da vida: Vaidade

Nossas reações e não apenas ações. Nossa fragilidade emocional. O que sentimos nos trai. Depressão por conta de problemas físicos, falta de vitaminas, etc.

 

Orando pelos mártires. Não nos deixes cair em tentação (sob tortura negarem a Cristo).

William Tyndale escreve uma carta de encorajamento para seu amigo John Frith que estava prestes a morrer na fogueira por sua lealdade à palavra de Deus:

“Tua causa é o evangelho de Cristo, uma luz que deve ser alimentada com o sangue da fé… Se somos fustigados e sofremos fazendo o bem, devemos sofrer e suportar com paciência… o que é aceitável e agradável a Deus, pois para esse fim fomos chamados. Porque também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo para que nós sigamos suas pisadas, Ele, que não cometeu pecado jamais. E nisto temos conhecido o Seu amor, que Ele deu a Sua vida por nós, por isso nós também devemos dar a nossa vida pelos irmãos… não deixe seu corpo esmorecer… Se a dor estiver acima de suas forças, lembre-se, tudo quanto pedirdes em Seu nome, Ele concederá. Ore ao Pai então no nome precioso de Cristo, e Ele vai te dar forças para sofrer, aliviar a dor ou encurtá-la neste mundo… Amém!” William Tyndale também foi martirizado 3 anos depois por começar a traduzir a bíblia para o inglês.

 

“Vigiai e orai para que não entreis em tentação”. Mateus 26.41.

Não nos deixes cair em tentação implica em duas ações: vigiar para pedir socorro a Deus. Eu vigio, para gritar por socorro. E não para lutar sozinho. E clamo por misericórdia e livramento.

 

O que acontece se cairmos?

1Jo 2.1: Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo.

 

Caímos quando damos ouvidos ao tentador, e desejamos as coisas do mundo ao invés do Reino, da Santidade do Nome de Deus e fazer a Vontade de Deus. Quando não desejamos isso, devemos PEDIR AJUDA. Quando não pedimos ajuda, caímos. Não conseguimos sozinhos.

 

2) Livra-nos do mal

Livra-nos (rhusai) – Resgata-nos do mal, liberta-nos do mal

Romanos 7.24: quem me livrará do corpo essa morte?

Colossenses 1.13: Ele nos libertou do império das trevas…

1Tessalonicenses 1.10b: … Jesus, que nos livra da ira vindoura.

2Timóteo 4.18: O Senhor me livrará também de toda obra maligna…

 

Do Mal (tou ponerou) – Aqui temos um caso que apresenta não apenas a maldade de forma abstrata. Jesus Cristo coloca o Mal no nominativo, como uma pessoa. Livra-nos do Maligno.

Ou seja:

A Maldade está presente no mundo.

Não permita que o Maligno tenha qualquer ponto de apoio em nós. Não permita que emprestemos nossa boca para Satanás.

Pedro empresta sua boca para Satanás: “Arreda de mim, Satanás”.

Judas permite que Satanás o use.

Satanás é contrário à Santidade de Deus, ao Reino de Deus e à Vontade de Deus. O mal é tudo aquilo que vai contra o Senhor.

Seremos tentados a não santificar o nome de Deus, a não desejar o reino de Deus, e a não cumprir a vontade do Senhor, nesse momento almejamos por libertação. Da nossa carne que é má, do sistema mundano que é maligno e de Satanás que quer nos aprisionar.

 

Além disso, nós devemos nos OPOR ao maligno e jamais nos aliar a ele.

Somos agentes de Deus na implementação do Reino de Deus em oposição ao império das trevas.

Nossas armas:

  • Humildes de espírito – Humildade
  • Que choram – Arrependimento
  • Mansos – Mansidão
  • Sede e Fome de Justiça – A obediência à Palavra de Deus
  • Misericordiosos – Misericórdia
  • Limpos de Coração – Pureza
  • Pacificadores – Paz
  • Perseguidos por causa da Justiça – Perseverança

 

Livra-NOS – é uma intercessão não apenas por mim, mas pelo meu irmão. Eu me importo com meu irmão. E posso ser um agente de Deus para livra-lo do mal. Como?

Seguindo Mateus 18.

Muito se fala em liberdade. Mas não há liberdade para pecar. Não há liberdade para defender ideias contrárias à palavra de Deus.

As palavras “livra-nos” sugerem a necessidade do poder de Deus nos perigos da vida. “O espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca” (Mateus 26:41); mas Deus “é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós” (Éfesios 3:20).

 

Além disso, Deus promete dar libertação, pondo limitações às tentativas de Satanás de nos destruir.

“Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar” (1Coríntios 10:13).

 

John Stott parafraseia todo o pedido assim: “Não permitas que sejamos induzidos à tentação que nos possa derrotar, mas livra-nos do maligno”. Assim, por trás dessas palavras que Jesus nos deu para orar, encontramos a implicação de que o diabo é forte demais para nós, que somos fracos demais para enfrentá-lo, mas que o nosso Pai celeste nos livrará se o invocarmos.

 

Todas as três petições incluem as nossas necessidade: materiais (o pão de cada dia), espirituais (perdão de pecados) e morais (livramento do mal). O que faze­mos, sempre que proferimos esta oração, é expressar nossa de­pendência de Deus em cada setor da vida humana.

As petições também são trinitárias: O Pai provê o pão, o perdão vem por meio do Filho, e o livramento por intermédio do Espírito Santo que habita em nós.

 

3) Pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre, Amém!

Do SENHOR é:

  • O Reino

Somos cidadãos do Reino de Deus. Vivemos os valores do Reino de Deus. E vivemos para fazer a vontade do Rei. Ele é o soberano sobre as nossas vidas. Só há um trono. Não deve haver síndrome do trono em nós. Somente Deus reina, e nós o servimos. Seu governo é eterno, não tem fim, ele é soberano, e sua vontade é feita na terra e no céu.

  • O Poder

Reconhecemos que Deus é o detentor de todo poder. Não está em nós o poder, mas dependemos de Deus. Somos fracos, servindo a um Deus Todo-Poderoso. Até o poder que Satanás tem foi dado por Deus. Nada foge do controle do Senhor.

  • A Glória

Não há espaço para autoglorificação. Toda a glória é dada a ele. Tudo é para ele.

1Co 10.31: Portanto quer comais, quer bebais ou façam qualquer outra coisa, fazei tudo para a glória de Deus.

 

Para sempre: Pelos séculos dos séculos. A eternidade com Cristo será terrível para quem não quer render glória a Deus, para quem não quer servir ao Senhor. Porque renderemos glória ao Senhor para sempre.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: