1Samuel 1 e 2: Aprendendo a pedir

1 Samuel 1 – Ana – Aprendendo a pedir

Introdução:

Tom Brady, um dos maiores jogadores de futebol americano de todos os tempo. Em uma entrevista, o correspondente do 60-Minutes, Steve Kroft, falou com o quarterback do New England Patriots, Tom Brady, sobre seu sucesso dentro e fora de campo. O que ele disse sobre estar satisfeito na vida surpreendeu a todos.

BRADY: … Há momentos em que não sou a pessoa que quero ser. Por que eu tenho três títulos do Super Bowl e ainda acho que há algo maior lá fora para mim? Quer dizer, talvez muitas pessoas diriam: “Ei cara, é isso”. Alcancei meu objetivo, meu sonho, minha vida. Eu penso: Deus, tem que ser mais que isso. Quer dizer, isso não pode ser tudo. Quer dizer, eu fiz isso. Eu tenho 27 anos. E o que mais tem para mim?

KROFT: Qual é a resposta?

BRADY: Eu gostaria de saber. Eu gostaria de saber…

 

Todos buscamos por segurança e por significado.

Milhões gastos com antidepressivos.

Hoje pela manhã recebi uma mensagem de uma amiga:

“Oi Dani! Bom dia! Meu irmão me encaminhou ontem uma mensagem que você escreveu sobre depressão. Eu encaminhei pra uma amiga minha que eu senti que estava se sentindo mal há um bom tempo! Ela me ligou logo em seguida do envio da mensagem que você escreveu, chorando. Disse que estava em depressão há um certo tempo e que não havia contado a ninguém por vergonha. Disse que no momento que leu a mensagem estava com a arma do marido dela na mão (ele é capitão aposentado da polícia), e estava prestes a tirar a própria vida. Ela disse que o celular fez barulho de mensagem e que algo dentro dela falou pra ela ler. Era a mensagem que eu tinha encaminhado. A mensagem que você escreveu. Ela falou que começou a chorar e pedir perdão a Deus. Guardou a arma e foi falar com o marido. Ela disse que vai procurar ajuda. E agradeceu muito pela mensagem. Precisava te contar isso pra você ver como Deus tem usado você pra salvar vidas! Que Deus te abençoe e continue te usando. (Obs: ela é católica e concordou em me acompanhar na igreja)”.

As pessoas estão desesperadas em busca de significado.

 

Contexto:

O livro de Juízes termina dizendo: Jz 21.25 “Naqueles dias, não havia rei em Israel; cada um fazia o que achava mais reto”.

Diante disso, Israel vivia tempos de trevas, um caos moral. Não havia quem buscasse a Deus. Quem o Senhor levantaria para ser luz em meio à escuridão daquela época?

 

Vs. 1 – Ascendência de Elcana.

O texto inicia mostrando a ascendência de Elcana. Pensamos ser ele a pessoa importante que restaurará a ordem. Sua genealogia é descrita. Deve ser ele quem trará luz em meio ao caos moral daquela geração.

Vs. 2 – Duas mulheres apresentadas.

Penina é um exemplo de esposa, ela tinha filhos. Ana não os tinha.

Ana era uma ninguém. Falhou como esposa. Era zombada por Penina.

Não ter filhos era sinal de não ter a bênção de Deus.

Não ter filhos é não ter segurança no futuro.

Falhou socialmente. Os filhos eram a garantia de uma velhice segura, ainda mais porque os maridos eram mais velhos e morriam bem mais cedo. Porém, sem filhos, Ana certamente mendigaria. Estaria totalmente desamparada em seus dias maus.

Ana não busca por antidepressivos, por mensagens de autoajuda. Ela ora ao Senhor. Em todo 1Samuel apenas duas pessoas oram. Ana e Samuel.

 

1) ANA PEDE AO SENHOR – PEDINDO

Primeiras palavras de Ana nas Escrituras:

1 Samuel 1:11

E fez um voto, dizendo: SENHOR dos Exércitos, se benignamente atentares para a aflição da tua serva, e de mim te lembrares, e da tua serva te não esqueceres, e lhe deres um filho varão, ao SENHOR o darei por todos os dias da sua vida, e sobre a sua cabeça não passará navalha.

Ela o chama pelo nome Yahweh Tsebaot. Pela primeira vez ele é chamado assim. Da boca de uma ninguém. Ela acredita na oração.

Ilustração: Um homem abre um bar ao lado de uma igreja. Os irmãos começam a orar. Então, acontece o inesperado. Há um curto circuito que destrói toda a loja. Aquele homem tem que fechar seu estabelecimento. Então ele entra na justiça contra a igreja. Ele viu que os irmãos estavam orando. Ele diz que a igreja é responsável por aquilo.

Os irmãos então se defendem, não fomos nós. Não temos nada a ver com isso. Dentre esses dois, apenas um acreditava no poder da oração. O dono do bar.

Como ela se vê:

Ela se chama de serva por três vezes. Vs 11 e 16.

Ela sabe o que está em jogo. A sua submissão.

 

2) ANA PROMETE AO SENHOR – PEDINDO PARA DEVOLVER

Veja o que ela promete: vs. 11.

Veja o que importa para ela: que ele pertencerá a YHWH e se dedicará ao Senhor.

Se o Senhor me der, então eu darei. O que o Senhor me dá, eu dou de volta ao Senhor. Submissão.

 

1 Samuel 1:27-28

Por este menino orava eu; e o SENHOR me concedeu a petiçãoque eu lhe fizera. Pelo que também o trago como devolvidoao SENHOR, por todos os dias que viver; pois do SENHOR o pedi. E eles adoraram ali o SENHOR.

 

Ana pede e então Ana devolve ao Senhor.

Temos orado assim? Pedindo a Deus, para que devolvamos para a glória dele?

⁃carro (pede um carro para ir à igreja, depois, quer viajar aos fins de semana)

⁃Promoção no emprego (pede a Deus que abençoe no trabalho, depois está cansado demais para cultuar ao Senhor)

⁃Criança (pede a Deus um filho, depois, a criança dá trabalho demais para ir aos cultos).

Os presentes de Deus devem devolvidos para ele, para a glória dele. Você tem pedido aquilo que irá devolver ao Senhor?

Ana dá a luz. E depois de alguns anos dedica Samuel ao Senhor deixando-o a serviço do templo.

 

3) PEDINDO , DEVOLVENDO E SE ALEGRANDO

Então Ana ora ao Senhor:

1 Samuel 2:1-2

Então, orou Ana e disse: O meu coração se regozija no SENHOR, a minha força está exaltada no SENHOR; a minha boca se ri dos meus inimigos, porquanto me alegro na tua salvação. 

Ana inicia sua oração pensando em seus inimigos, e termina a oração com os inimigos de Deus. Termina com a salvação do rei Messias.

1 Samuel 2:10

Os que contendem com o SENHOR são quebrantados; dos céus troveja contra eles. O SENHOR julga as extremidades da terra, dá força ao seu rei e exalta o poder do seu ungido.

 

Ela diz Rei? Não há rei em Israel. Ana está vendo algo além do que sua vida apenas. Ana vislumbra o Grande Plano de Deus mesmo sendo uma ninguém aos olhos de sua época. Deus é especialista em revelar-se para “ninguéns” que têm seu coração voltado para ele.

Na oração de Ana não há mais petições. Tudo se trata da glória de Deus. Estamos envolvidos em algo muito superior do que nossa própria história.

Nós levantamos, tomamos café, levamos as crianças na escola, trabalhamos sem sequer pensar que existe um mundo não visto. O mundo espiritual.

Em meio a um mundo caótico, sem luz, Ana tem luz. Ana enxerga. Uma ninguém é a única que tem comunhão com Deus no seu tempo.

Ana consagra seu filho. Ela é a única que ora. E seu filho depois é o único que ora.

Isso nos ensina sobre ensinar a criança no caminho em que deve andar. Em um período de trevas, uma mãe ora. Um menino nasce. Um profeta, um sacerdote, um juiz que muda o curso da história de sua geração.

Ana percebe o Grande plano de Deus e participa dele. Ela não está mais engajada em disputas humanas e busca por segurança ou significado. Ela tem seu significado e sua segurança em Deus.

Ana pede um filho e devolve um filho. Ela ficaria sem ele.

Deus não nos dá coisas para ficarmos para nós. Ana descobre a alegria de devolver para Deus. Sua satisfação plena agora está em Deus e não em um filho.

Ela ora e está alegre não quando concebe. Não quando o bebê nasce. Mas agora quando está devolvendo-o para Deus. Ela está voltando para casa sem filhos novamente, mas feliz em Deus.

Ela pede, ela devolve, ela se alegra.Do sofrimento para a satisfação.

Nós fazemos parte de algo muito maior do que nós. E quando sacrificamos para Deus, encontramos satisfação plena. Somente enquanto estamos alinhados com o plano de Deus.

Que nossas orações sejam: pedimos isso para devolvermos para o Senhor. Caso não seja possível, não ore.

 

Conclusão:

A oração de John Knox. Dá-me a Escócia senão morrerei. A Escócia foi alcançada. A Rainha da Escócia dizia temer mais as orações de Knox do que todas as tropas da Inglaterra. Ele pediu, ele devolveu ao Senhor, sua alegria estava em glorificar a Deus.

Ele pediu, para devolvê-la ao Senhor. Sua alegria estava em glorificar a Deus.

 

Quando decidimos honrar a Deus, Deus decide honrar o nome dele em nossa vida. Em 1Sm 2.21 temos: “Abençoou, pois, o SENHOR  a Ana, e ela concebeu e teve três filhos e duas filhas; e o jovem Samuel crescia diante do SENHOR”.

Porque Ana agora tinha seu significado e segurança no Senhor e não nos filhos, Deus lhe deu cinco filhos. Quando devolvemos ao Senhor, somos ainda mais abençoados. Louvado seja o nome do Senhor!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: