Gênesis 26: Confiando em Deus em meio às adversidades [Isaque]

Genesis 26.1-33 – Confiando em Deus em meio às adversidades

1) Relembre as promessas

Vs. 2-5 “Não desças ao Egito. Fica na terra que eu te disser, habita nela e serei contigo e te abençoarei, porque a ti e a tua descendênciadarei todas estas terras e confirmarei o juramento que fiz a Abraão (Gn 12.7), teu pai. Multiplicarei a tua descendênciacomo as estrelas dos céus e lhe darei todas estas terras (Gn 15.5). Na tua descendênciaserão abençoadas todas as nações da terra (Gn 12.3); porque Abraão obedeceu à minha palavra e guardou os meus mandados, os meus preceitos, os meus estatutos e as minhas leis”.

 

Vs. 24 “Eu sou o Deus de Abraão, teu pai. Não temas, porque eu sou contigo; abençoar-te-ei e multiplicarei a tua descendência por amor de Abraão, meu servo.

Deus já havia prometido terra e descendência (a respeito de Isaque) a Abraão por 7 vezes. (Gn 12.1-3; Gn 12.7; Gn 13.14-17; Gn 15.1-21; Gn 17.1-14; Gn 18.10; Gn 22.16-18).

Agora, por duas vezes, o Senhor confirma sua promessa a Isaque. E por quatro vezes repete a palavra “descendência”. Ele o protegeria como protegeu Abraão. Ele poderia confiar em Deus porque era o Deus de Abraão e também o seu Deus.

Relembrar as promessas e viver as promessas. Isaque precisava de um encontro com Deus assim como seu pai. Deus prometeu descendência e aquela terra por quatro vezes.

Isaque, se esquece e vai a Gerar. Mesmo local onde seu pai mentira sobre sua mãe ao rei de Gerar (Abimeleque – que quer dizer Pai e Rei, provavelmente um título).

Agora, Isaque duvidou e mentiu. Ele está na mesma situação de seu pai. Ele ainda nem era nascido. Mas, naquele mesmo contexto, ele teme a homens e não a Deus, duvida da providência e mente, assim como seu pai. Ele teme as circunstâncias e ainda não confia em Deus.

Do que você tem medo?

Mas Isaque viu o livramento do Senhor. (Vs. 8-14). E o Senhor o abençoava, cumprindo sua promessa. Agora ele conhece o Deus providente, que promete e cumpre. Deus o abençoou sobremaneira, a despeito de seu erro.

 

2) Resista à retaliação (Continue em frente)

O texto diz que os filisteus tinham inveja de Isaque (vs. 14).

Por causa disso, eles entulharam todos os poços que Abraão tinha aberto. E agora, o rei diz a Isaque: “aparta-te de nós, porque já és muito mais poderoso do que nós”. Vá embora, não queremos você aqui. Você é persona non grata em nosso meio. Não gostamos de ver você prosperar, isso nos faz mal. Suma daqui.

Isaque resiste à retaliação e segue em frente. Até o Vale de Gerar onde passa a habitar.

Vs. 18 – Isaque então reabre os poços que seu pai havia aberto. Estamos falando de uma terra que não tem rios. Ele precisa de água para sobreviver. Para tomar banho, comer, beber. Os filisteus não apenas o queriam longe, eles o queriam morto.

Além disso, os seus servos acharam água nascente. Isso é raríssimo. Como podia? Deus o abençoava muitíssimo. E por isso os pastores de Gerar ficaram furiosos e contenderam com os pastores de Isaque dizendo: essa água é nossa (vs. 20).

Ele abre um poço e eles fecham. Ele abre novamente. Ele abre outro poço, e eles tomam. Ele segue em frente.

Vs. 21 – Novamente ele cava outro poço, e novamente eles contenderam com ele. Então ele segue em frente.

Vs. 22 – Ele cava outro poço, e eles não contenderam e ali ele permaneceu. Deus o abençoava, ele não precisava retaliar.

Ele era muito mais poderoso do que eles, ele podia revidar mas não o fez. Davi podia pegar a lança e revidar contra Saul, mas Davi não era Saul. Isaque também era diferente.

Isaque agora confia nas promessas do Senhor, ele se lembrou das promessas e não retalia contra os inimigos.

 

3) Reconsidere a graça (O resultado – ande a segunda milha)

Vs. 26-33 – Abimeleque vai até Isaque junto com seu comandante do exército.

Isaque até agora não revidou as investidas dos pastores. Mas agora quem vai até ele é o próprio rei e o comandante do exército.

Sabe quando você quer continuar em frente, mas o inimigo está à espreita? Isaque provavelmente ficou angustiado ao vê-los chegando. Senhor, eu confio em ti. Mas por que meus inimigos continuam me atacando?

Vs. 27: Por que viestes a mim, pois me odiais e me expulsastes do vosso meio?

O que querem fazer agora? Querem tirar minha vida? Isaque poderia apenas revidar. Ele estava em sua própria terra, ele tem a oportunidade de matar seus inimigos. Ele tem o poder em suas mãos. Mas ele não faz, ele reconsidera a graça.

Vs. 28: Vimos claramente que o SENHOR é contigo; então dissemos: Haja agora juramento entre nós e ti, e façamos aliança contigo. Jura que não nos farás mal, como também não te havemos tocado, e como te fizemos somente o bem, e te deixamos ir em paz. Tu és agora o abençoado do SENHOR.

Os próprios filisteus veem a bênção de Deus sobre Isaque. Eles não são totalmente sinceros. Não fizeram apenas o bem, ele não saiu totalmente em paz. Isaque sofreu muito. Mas ele anda a segunda milha.

Sua confiança em Deus é tão completa que ele dá um banquete aos seus inimigos. Ele confiou em Deus. Ele deixou sua vida nas mãos de Deus. Somente se confiarmos em Deus. Ele comete mesmo erro do pai, mas não continuou no erro. Ele aprendeu. Isaque confia totalmente no Senhor, porque relembrou das promessas, resistiu à retaliação e reconsiderou a graça. Louvado seja o nome do Senhor!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: