2Coríntios 12.1-10: Como nossa vida pode ter significado

2Co 12.1-10 – Como nossa vida pode ter significado? 

Introdução

O xerife foi até o campo de um fazendeiro pesquisando por possíveis plantações de drogas. O fazendeiro calmamente o recebe e diz pra ele: Tudo bem xerife, apenas não vá até aquele campo ali. O xerife com toda a sua autoridade responde: “você sabe com quem está falando? Você está vendo este distintivo? Eu tenho autoridade para ir onde quiser, fazer o que eu quiser. Ninguém pode me impedir de ir até aquele campo. Eu irei lá e não quero uma palavra”. Então pouco tempo depois escuta-se um grito alto do xerife e ele vem correndo para salvar a sua vida. Há um urso feroz correndo atrás dele. E mais alto ainda grita o fazendeiro para o xerife: “o distintivo xerife. Mostre o distintivo para ele”. 

Queremos que nossa vida tenha significado, então mostramos nossas credenciais, mostramos nossos distintivos, queremos que as pessoas saibam quem somos, o que fizemos, quão grande somos. Queremos mostrar que a nossa vida é importante. Preste atenção em mim. Eu sou o número um. Eu tenho um cartão black. Eu tenho tantas curtidas no facebook ou seguidores no instagram. Eu tenho mais tempo de igreja. Eu sou líder disso ou daquilo. Eu tenho um cargo. 

Como Deus pensa que nossa vida tenha significado?

O que é sucesso e poder para Deus em nós. 

Paulo mostra como sua vida importa e como devem respeita-lo. 

O que Deus diz sobre força, sucesso e poder nas nossas vidas. Como nossas vidas devem importar para Deus. 

Como reagimos quando somos rebaixados, questionados, quando duvidam de nós? 

CONTEXTO:

Na igreja de Corinto, algumas pessoas estavam questionando a autoridade de Paulo (2Co 13.3).

Ele não fará uma perfeita defesa dele mesmo. Minha vida importa. Minha vida é importante. Veja minhas credenciais. 

Paulo quer falar de outra coisa: vs. 5 – me gloriarei nas minhas fraquezas.

Paulo, você fala sério? O que há de errado com você? Faça sua vida valer a pena. 

Brad Pitt é entrevistado e uma pessoa faz uma pergunta: Acho que exagerei no meu perfil na internet para relacionamentos. Fiz errado? Ele responde: Não. Na verdade, todos mentem na internet. Todos esperam que você minta e aumente. E se disser a verdade, todos pensarão que você é menos do que aquilo que realmente é, então a única maneira de dizer a verdade na internet é mentindo. 

Você fará o que Paulo? Mostrará as suas fraquezas? Siga o exemplo do homem do perfil online de relacionamentos. 

1) Glorie-se nas fraquezas 

Todo mundo quer líderes. E todo mundo quer ser um líder.

O objetivo de Harvard: “educar nossos alunos para serem cidadãos e líderes de cidadãos para a sociedade”.

Yale quer apenas “os líderes de sua geração.

Princeton exige “atividades de liderança” para os alunos em potencial.

Liderança é o prêmio a ganhar. Habilidades de liderança são o que são valorizadas acima de tudo. A melhor sociedade, a comunidade ideal, a nação perfeita, ao que parece, deve ser composta de Tipo A, abrindo caminho para o futuro, com o resto de nós seguindo humildemente sua sugestão. Oh, espere, todos nós devemos ser líderes.

É parte do DNA americano celebrar aqueles que se elevam acima da multidão. E nas últimas décadas, o caminho meteórico para a liderança de jovens moradores de garagem e dormitórios, de Steve Jobs a Mark Zuckerberg, fez com que o status de rei da colina parecesse possível a cada 19 anos de idade. 

Então agora nós temos estudantes do ensino médio disputando a presidência de tantos clubes quanto eles puderem. Não é mais suficiente ser um membro do conselho estudantil; agora você tem que administrar a escola.

Todo mundo quer ser chefe, e ninguém quer ser índio. O cristianismo não se trata de ser um líder mas de ser um servo. Não se trata de ser o maior, mas o menor. De estar à frente e todos o seguindo como bois, mas indo atrás e dando a vida uns pelos outros. 

2Coríntios 11.16-33 

Paulo se gloria, mas em seu sofrimento por amor a Cristo. 

Vs. 16-33: trabalhos, prisões, açoites, perigos de morte muitas vezes. 

Cinco vezes recebeu 39 açoites. 

Três vezes açoitado com varas. 

Uma vez apedrejado. 

Três vezes naufragou (uma noite e um dia perdido no meio do mar) 

Perigos diversos (salteadores, de rios, entre judeus, entre gentios, na cidade, no deserto, no mar, entre falsos crentes) 

Trabalhos e fadigas 

Vigílias 

Fome e sede e jejuns 

Em Frio e nudez 

A preocupação com as igrejas 

QUAIS SÃO SUAS CREDENCIAIS? 

2Coríntios 12.1-10

Paulo diz: um homem (vs. 2). Eu não eu, Deus sabe (vs. 2). Esse homem (vs. 3); não sei, Deus sabe (vs. 3); ouviu coisas indizíveis que ao homem não é permitido falar (vs. 4). Paulo não está interessando em mostrar as suas excelentes credenciais e colocar-se como superior a todos os outros. Ele mantém distância desse homem. 

Vs. 5 – me gloriarei nas minhas fraquezas. 

Qualquer um usaria fortaleza ao invés de fraquezas. Deus o ensinou como fazer sua vida valer a pena. 

Entrevista de emprego: Quais são os seus defeitos? Eu sou perfeccionista. Eu sou workaholic. 

Vs. 7 – para que eu não me exaltasse Deus enviou um mensageiro de Satanás para me esbofetear. 

Espinho na carne. Ele fala do espinho da carne. 

Uma razão que Deus permite espinhos na carne: nos manter longe do orgulho. 

Pv 16.5 – abominável é ao SENHOR todo arrogante de coração; é evidente que não ficará impune. 

Paulo aprendeu essa lição. Para ele credenciais não significam nada. 

2) Seja cheio do Poder de Deus e não do seu poder 

O poder de Deus se aperfeiçoa na fraqueza. 

STEVIE KING

Michael Jordan em um jogo fez 69 pontos. Naquele jogo, no último minuto o técnico colocou um reserva chamado Stevie King, que raramente era usado no Chicago Bulls. No minuto final ele teve dois tiros livres e fez 2 pontos no jogo. Anos depois, ele foi perguntado sobre qual o ponto alto da sua carreira, e ele respondeu: me lembro do jogo onde eu e o Michael Jordan marcamos 71 pontos em um jogo. 

Se Deus está fazendo tudo, se ele é a razão do porque estamos daqui, do que fazemos, por que se gloriar? 

A minha festa foi a melhor. Eu tenho mais influência. Por minha causa muitos sairiam da igreja. Tentamos exaltar a nós mesmo. Quão estúpidos. 

Deus permite o espinho na carne. E Paulo expõe isso. 

Queremos que nossa vida seja importante, que nossa opinião importe. Que sejamos admirados. O poder de Deus se aperfeiçoa na fraqueza. 

Como nossa vida pode ter significado? 

Devemos permitir que o poder de Deus se aperfeiçoe em nós. Isso só acontece quando reconhecemos a nossa fraqueza. O poder de Deus não opera sem a nossa humilhação. Sem o nosso reconhecimento de que não somos. Reconhecemos nossa fraqueza, e então somos fortalecidos. 

  • Mateus 5.3 – Bem-aventurados os humildes de espírito 

Vs. 9-10: A minha graça te basta. Quando sou fraco, sou forte. 

Quer ser forte, seja fraco. 

Quer experimentar o poder de Cristo, rejeite o seu poder. 

Quer experimentar a graça suficiente, então se esqueça a auto-exaltação. 

Nas nossas vidas haverão espinhos na carne para nós. 

Não tenha dúvida que esses espinhos nos mostrarão a nossa indignidade. Corpos corruptíveis, mentes falhas, intelecto caído, falta de sucesso. O embaraço da doença, a agonia da falta de emprego, as finanças quebradas, pecados que tanto nos assediam ano após ano. 

Ensinados que a graça é suficiente. A auto-exaltação não resolve. O espinho na carne. 

Somente o poder de Cristo, aquele que venceu os cravos. 

3) Esvazie seu Ego 

Esvazie seu ego. Como? 

Todas as vezes que você for tentado a ostentar todas os maravilhosos feitos que você já realizou, se cale. Esqueça a ideia de chamar a atenção para si mesmo. Somos servos e não o centro das atenções. Fale das suas fraquezas e esvazie seu ego. Fale mais da sua fraqueza do que das suas conquistas. 

CONCLUSÃO

QUEM SOU EU? 

Quem Sou Eu?

Quem sou eu? Seguidamente me dizem

que saio da minha cela

tão sereno, alegre e firme

qual dono de um castelo.

Quem sou eu? Seguidamente me dizem

que da maneira como falo

aos guardas, tão livremente,

como amigo e com clareza

parece que esteja mandando.

Quem sou eu? Também me dizem

que suporto os dias do infortúnio

impassível, sorridente e com orgulho

como alguém que se acostumou a vencer.

Sou mesmo o que os outros dizem de mim?

Ou apenas sou o que sei de mim mesmo?

Inquieto, saudoso, doente,

como um passarinho na gaiola,

sempre lutando por ar, como se me sufocassem,

faminto de cores, de flores, às vezes de pássaros.

Sedento de palavras boas, de proximidade humana,

tremendo de ira a respeito da arbitrariedade

e ofensa mesquinha,

nervoso na espera de grandes coisas,

em angústia impotente pela sorte de amigos distantes,

cansado e vazio até para orar, para pensar, para produzir,

desanimado e pronto para me despedir de tudo?

Quem sou eu? Este ou aquele?

Sou hoje este e amanhã um outro?

Sou porventura tudo ao mesmo tempo?

Perante as pessoas um hipócrita?

E um covarde, miserável diante de mim mesmo?

Ou será que aquilo que ainda em mim perdura,

seja como um exército em derradeira fuga,

à vista da vitória já ganha?

Quem sou eu?

A própria pergunta nesta solidão

de mim parece pretender zombar.

Quem quer que sempre eu seja,

tu me conheces, ó meu Deus,

sou teu.

Dietrich Bonhoeffer. Resistência e submissão: cartas e anotações escritas na prisão. São Leopoldo: Sinodal, 2003, p.468-469.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: