1Pedro 1.22-25: Deus nos salvou para amarmos

1Pedro 1.22-25: DEUS NOS SALVOU PARA AMARMOS 

Introdução: 

Roy Riegels, jogador extraordinariamente talentoso, no dia primeiro de janeiro de 1929, em uma partida de Futebol Americano no estádio Rose Bowl na Califórnia, correu por 58 metros enquanto setenta mil pessoas gritavam. 

Ele estava determinado a vencer a partida, mas em vez disso, ele correu para o lado oposto. Ele não fez o touchdown. Ele correu para sua própria meta e sofreu uma derrota terrível. 

Na jornada religiosa é possível que tomemos um caminho totalmente errado. Isso aconteceu na época de Jesus. Aqueles que pensavam estar totalmente certos, crucificaram o Deus encarnado. 

E talvez você esteja aqui hoje pensando estar em um caminho totalmente certo, mas estar correndo para o lado errado. 

Pedro mostra que amor é uma questão de santidade. Demonstramos a nossa santidade por meio do amor. 

1) AMAI-VOS ARDENTEMENTE 

Vs. 22: “Tendo purificado a vossa alma, pela vossa obediência à verdade, tendo em vista o amor fraternal não fingido, amai-vos de coração, uns aos outros ardentemente”. 

  1. Estado. Agora que vocês se purificaram. Eles haviam se purificado moralmente. Não é que haviam passado por uma purificação cerimonial para uma festa religiosa. Eles foram purificados moralmente. Bem-aventurados os puros de coração porque verão a Deus. Essa pureza nos leva à bênção. 

IMAGEM DE DEUS 

Um grupo de mulheres estudava o livro de Malaquias quando, no Capítulo 3, elas se depararam com um assunto do qual nada sabiam: “E assentar-se-á como fundidor e purificador de prata…”

Este verso as deixou intrigadas, pois elas não conseguiam entender seu significado quanto ao caráter de Deus. Uma delas, porém, se ofereceu para tentar descobrir como se realizava o processo de refinamento da prata, até a próxima reunião.

Entrou em contato com um ourives e marcou horário com ele. Não disse-lhe o motivo da sua curiosidade, mas, ainda assim conseguiu convencê-lo a deixá-la presenciar seu trabalho com a prata.

O homem colocou um pedaço do metal sobre o fogo e o aqueceu. Explicou que no processo de refinamento devia-se manter a prata no meio do fogo, onde as chamas eram mais quentes, de forma a queimar todas as impurezas.

Ela perguntou se era verdade que ele tinha que se sentar em frente ao fogo enquanto a prata estivesse sendo refinada. O ouvires respondeu que sim, pois tinha que ficar olhando o tempo todo para a prata, para evitar que ela fosse destruída pelo fogo.

A mulher, então, perguntou: “Como você sabe quando a prata já está purificada?”.

“Ah! é fácil, respondeu o ourives, quando eu vejo a minha imagem nela”.

  • Meio. De que maneira os crentes obtêm a pureza? Ao obedecer à verdade. Quando os crentes são obedientes à Palavra de Deus então são puros. Não é uma questão de guardar a lei, mas de aceitar os ensinamentos do evangelho pela fé. Ao ser regenerados, Deus muda a nossa vontade. Ele muda o nosso coração e nos habilita a obedecer. Agora, podemos obedecer. Agora queremos obedecer. 

Nossa cultura se opõe à noção de verdade objetiva. Justamente para não ter que se submeter a ela. Querem impor seu sentido a todas as coisas. A tragédia da humanidade caída é que tendemos a obedecer a mentira, ao que é falso, mas a purificação da nossa alma vem por meio da obediência à verdade. 

Não basta simplesmente ouvir a  verdade, Não basta apenas recitar as verdades de cor. É necessário obediência. E para obedecer precisamos da graça e assistência do Espírito Santo. 

Porque é Deus que opera, somos chamados a depender desesperadamente dele. Não obedecemos porque somos bons, mas porque o Senhor opera em nós. A SIMPLES OBEDIÊNCIA É O QUE ELE REQUER DE NÓS. 

A obediência à sua palavra. Deus estabeleceu uma igreja, uma comunhão e comunidade de cristãos que se reúnem para apoiar-se, edificar-se e encorajar-se mutuamente. A igreja deve ser um grupo que, quando reunido, vivencia um tipo extraordinário de amor. A graça que vem por meio da pregação da palavra é confirmada pelos sacramentos que Cristo deu à sua igreja e é fortalecida pela disciplina da oração, tanto pessoal quanto comunal. 

Não há santificação em três passos simples. A santificação é por OBEDIÊNCIA À PALAVRA. CONHECER A PALAVRA E VIVER A PALAVRA. 

  • Resultado. Para que tenham amor sincero por seus irmãos. Quando obedecemos à Palavra de Deus, expressamos não somente nosso amor a Deus, mas ao próximo. Filadélfia (amor entre irmãos – dentro da mesma família). Somos regenerados e habilitados a obedecer para amar. O resumo da lei, e o cumprimento da lei está relacionado ao amor a Deus e aos irmãos. Esse amor deve ser não fingido, não hipócrita. Como é um amor não fingido dentro de uma família? 
  • se alguém da família está em dificuldade, eu irei ajuda-lo. 
  • Se ele precisar de doação de sangue, eu não vou apenas doar. Eu vou querer que outros também doem. 
  • Eu sinto a dor junto com ele. 
  • Meu dinheiro também serve para ajudar o meu irmão. 
  • Eu ensino o meu irmão. 
  • Eu corrijo o meu irmão. Eu puxo a sua orelha. 
  • Eu sou duro com o meu irmão quando é necessário. 
  • Eu dou consolo ao meu irmão quando ele necessita. 

Do indicativo evangélico, para o imperativo evangélico. Porque fomos regenerados, ou seja, porque Deus nos amou de tal maneira, então DEVEMOS amar. 

  • Mandamento. A ênfase está sobre o verbo principal, colocado intencionalmente na última parte do versículo: amem-se profundamente, de coração. Não é simpatia, mas amor profundo. Quando amamos profundamente, o amor dissipa a tensão, põe fim à inimizade e lança fora o ódio. 

AMAI-VOS (imperativo). Como? Ardentemente, de coração, com força. 

SOU SANTO QUANDO AMO. Lv 19. 

  • como trato meus irmãos. 
  • Cuido da viúva e do órfão. Exemplo do Diácono Geraldo Magela e Dona Leda. 
  • Como cuido daqueles que tem necessidades especiais (deficientes visuais, auditivos). Exemplo da nossa irmã Luciana que tem se dedicado ao cuidado de crianças com autismo e servido famílias para que possam ser assistidas. Temos nós olhado para as pessoas com necessidades ao nosso redor? 

2) O AMOR É A RESPOSTA DO REGENERADO  

Vs. 23: “pois fostes regenerados não de semente corruptível mas de incorruptível, mediante a palavra de Deus, a qual vive e é permanente”. 

Por que devemos amar uns aos outros? Pois fomos nascidos de novo. Voz passiva. Na regeneração o crente é passivo. Ele não é agente na regeneração, o agente da salvação é Deus. 

A obra da regeneração é monergista. Só há uma pessoa envolvida nela. O único que realiza essa obra é Deus. Não partiu de nós. Isso nos humilha. Na salvação não há nossa participação. Não merecemos. Fomos amados sem oferecer nada em troca. Não foi porque Deus viu algo em nós. Estávamos mortos. Éramos inimigos. Mas ele nos amou. E agora nos torna seus filhos para transbordarmos esse amor para outros!!! 

Uma vez que somos regenerados, agora somos ativos no processo de santificação, no amor aos irmãos. 

Temos uma nova natureza. O verbo regenerado está no passado, mas tem impacto no nosso presente e futuro. O resultado não ficou no passado mas muda a nossa vida para sempre. 

Não de semente perecível mas imperecível. A regeneração não é algo passageiro ou temporário. Justamente porque o Deus eterno nos regenerou, ele nos regenerou para a eternidade. Ela é para sempre. 

  1. Negativo. Uma das características da semente é que ela é criada para morrer, ela perde a sua própria forma no processo de geração de vida. Jesus ilustrou essa verdade para Filipe e os gregos: “Se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só, mas se morrer, produz muito fruto” (Jo 12.24). 
  2. Positivo. Ao interpretar a parábola do semeador Jesus diz que a semente é a palavra de Deus (Lc 8.11). A palavra de Deus é incorruptível. Ela regenera, dá vida, sustenta, e ainda assim, permanece a mesma ao longo de todo o processo. João diz em sua primeira epístola que depois que ocorre a regeneração, a semente de Deus permanece nele. (1Jo 3.9). 

POR QUE AMAMOS? PORQUE DEVEMOS MORRER. 

3) O AMOR É CONTRÁRIO AO EGOÍSMO 

Vs. 24-25a.

Pedro apela para o Antigo Testamento a fim de sustentar o seu ensino. Ele cita Isaías com a frase “está escrito”.  Ele cita Isaías 40.6-9. 

“Todos os homens são como a erva”. O termo todos não exclui ninguém. O homem é frágil como a erva que aparece em um dia e no outro se vai (Mt 6.30). 

“Em toda a sua glória, como flores do campo, a erva murcha e as flores caem”. A beleza da flor é passageira. Assim é a glória que irradia do homem por seus talentos, riquezas ou conquistas (Tg 1.11). Sopram os ventos de transformações e removem toda a glória e honra. 

“Mas a palavra do Senhor permanece para sempre”. A palavra revelada por YHWH permanece para sempre. 

A invenção do papel foi decisiva para a distribuição da Bíblia. Outros materiais dificultavam muito esse processo. Para imprimir a primeira Bíblia, em 1456, Gutemberg utilizou a pele de cinco mil cabras. E só deu para fazer 30 Bíblias. Esses animais devem ter agradecido a invenção do papel.

A Bíblia que você tem é provavelmente um exemplar de João Ferreira de Almeida. Esse português nasceu em 1628 e aos 16 anos de idade começou a traduzir o Novo Testamento para o seu idioma, usando o latim, o espanhol e o italiano. Aos 17 anos terminou a tradução. Sua dedicação à Palavra de Deus custou-lhe a condenação à morte na fogueira em 1660, pelo Tribunal da Inquisição. Como estava vivendo na Ásia, foi queimado simbolicamente em praça pública.

Não teve a mesma sorte o inglês William Tyndale. Por haver traduzido o Novo Testamento para a língua inglesa, ele foi queimado numa fogueira, na Bélgica, em 6 de outubro de 1536. Dez anos depois, o Parlamento Inglês decretou a queima em praça pública de todos os exemplares da Bíblia existentes na Inglaterra. No século 16 era comum isso acontecer. A Palavra de Deus venceu o fogo e permanece para sempre. Entretanto, seu valor só será eterno para nós se em nossa mente houver um lugar especial para guardarmos seus ensinos. Como a pequenina vespa que guarda em seu instinto a técnica de fazer papel.

VOLTAIRE 

O famoso filósofo francês, que morreu em 1778, talvez o maior escritor francês, Voltaire, crítico do Cristianismo, escreveu que num espaço de cem anos (com o desenvolvimento das ciências) não haveria nenhuma Bíblia na terra senão nas prateleiras, vitrinas e amostras de museus, para ser investigada (procurada) por algum curioso em antiguidades, passando à história.

Mas aconteceu que quem passou à história foi Voltaire, visto que a circulação da Bíblia continua a aumentar em quase todas as partes do mundo, levando bênçãos aonde quer que vá.

Alguém já expressou com muita propriedade “É mais fácil empregar os nossos esforços para interromper a trajectória do sol, do que tentar interromper a circulação da Bíblia”.

A respeito da presunção de Voltaire, apenas cinquenta anos depois da sua morte, a Sociedade Bíblica de Genebra comprou a residência onde Voltaire escreveu a insidiosa declaração, transformando a sua casa num enorme depósito de distribuição e de impressão de Bíblias! Mais tarde aquela mesma casa tornou-se a sede da filial de Paris, da Sociedade Bíblica Britânica e Internacional, a qual distribui Bíblias em toda a Europa! Que ironia da história!

O QUE PERMANECE? A PALAVRA DO SENHOR. SOMENTE CRISTO. 

A minha vida não deve estar centrada em mim mas em Cristo. E Cristo não teve uma vida centrada nele mesmo, mas em servir. 

Vs. 25b: “E esta é a palavra que foi pregada a vocês”. 

Cristo é a palavra criadora e encarnada de Deus. Deus revelou-se em Jesus Cristo, cujo evangelho os apóstolos proclamavam aos judeus e gentios. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: